O que é?

Mercado Livre, ou Ambiente de Contratação Livre (ACL) é o segmento do setor elétrico onde se realizam as operações de compra e venda de energia elétrica por meio de contratos bilaterais livremente negociados (condições, preços e volumes)  entre geradores, comercializadores, importadores e exportadores de energia e consumidores livres e especiais com a principal vantagem de obter um atendimento personalizado, conforme suas características de consumo, o que é impossível no mercado cativo.

O consumidor tem a possibilidade de traçar estratégias de contratação e escolher entre os diversos tipos de contratos, aquele que melhor atenda às suas expectativas de custo e benefício, podendo ter economias substanciais em relação ao mercado cativo.

A principal vantagem neste ambiente é a possibilidade de o consumidor escolher o seu próprio fornecedor de energia. Neste caso, a distribuidora continua sendo responsável pela entrega, qualidade e garantia do fornecimento.

  • O Consumidor paga à Distribuidora pelo serviço de entrega (“fio”) da energia.
  • O Consumidor paga ao Gerador/Comercializador o valor da energia contratada.
  • Os registros de energia são feitos na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, orgão do governo responsável pela contabilização e registros dos contratos de energia.

 

Consumidores Livres: são aqueles cuja a demanda de energia em qualquer segmento horário, isto é, Ponta ou Fora de Ponta, tenha contrato igual ou superior a 3.000 kW (3 MW):

Este tipo de consumidor pode adquirir, no mercado livre, energia de qualquer fonte de geração, seja ela Hidrelétrica, Termelétrica, etc.

Consumidores Especiais: são aqueles cuja demanda de energia em qualquer segmento horário, isto é, Ponta ou Fora de Ponta, for contratada de 500 kW (0,5 MW) até 3.000 kW (3 MW), podendo ser cargas únicas ou a soma de cargas, desde que sejam empresas coligadas com comunhão de interesse, isto é, mesmo CNPJ (empresas de mesmo grupo empresarial).

Este tipo de consumidor, no mercado livre, somente pode adquirir energia de fontes incentivadas, que são:

– PCHs: Pequenas Centrais Hidrelétricas, que são usinas hidrelétricas com potência instalada de até 30.000 kW (30 MW);
– Biomassa: Termelétricas cujo combustível seja, por exemplo, bagaço de cana de açúcar, casca de arroz, detritos urbanos, etc.;
– Eólica: Fonte de geração que utiliza a força dos ventos;
– Solar: Fonte de geração que utiliza a energia do sol;

Tanto os Consumidores Livres como os Consumidores Especiais, no mercado livre têm a liberdade de negociar a compra de energia elétrica, negociando livremente preços e prazos, podendo ser comprada na totalidade ou parcialmente. Apesar de, fisicamente receberem a energia da distribuidora local, pagam para ela tarifa somente pelo uso do fio.

O mercado livre de energia traz diversos benefícios aos consumidores:

Condições e preços livremente negociados;

Em negociação bilateral (gerador x consumidor) é firmado um contrato de fornecimento de energia elétrica, onde as clausulas relativas a preço, prazos e demais condições são livremente negociadas.

Previsibilidade do custo com energia elétrica;

Com a possibilidade de firmar contratos a longo prazo, os custos com energia energia elétrica podem ser projetados no decorrer do período, ao contrário do mercado cativo, onde as tarifas são reguladas pela ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica.

Descontos nas tarifas das distribuidoras por uso do sistema;

Na compra de energia oriundas de fontes incentivadas o consumidor tem o beneficio de desconto na TUSD – Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição e/ou TUST – Tarifa de Uso do Sistema de Transmissão, de acordo com sua modalidade tarifária, que podem ser de 50% a 100%.

Não incidência de bandeiras tarifárias;

O sistema de bandeiras tarifárias foi regulamentado pela ANEEL com o objetivo de sinalizar o custo de geração de energia para o mercado consumidor. Esse custo é adicionado a tarifa de energia elétrica. No mercado livre de energia não há incidencia desse sistema pois a energia será adquirida diretamente das fontes geradoras com preços e condições previamente definidos.

Necessidade de investimento inicial;

Adequação do sistema de medição e faturamento – SMF

Restrição relativa a potência necessária para migração;
Demanda contratada mínima de 500kW.

Adesão burocrática;

Obrigatoriedade de se tornar agente da CCEE – Camara de Comercialização de Energia Elétrica e abertura de conta corrente específica.

Operacionalidade mensal;

Operacionalizar, nos prazos pertinentes, todas as informações do consumidor junto à CCEE, tais como alteração e registro de contratos bilaterais, sazonalização, modulação, ajustes, e validação.

Risco de mercado;

Os contratos de compra de energia elétrica devem ser firmados com empresas idôneas, confiáveis, e com reputação ilibada que atuem no mercado.

Representação junto a CCEE – Camara de Comercialização de Energia Elétrica;

Operacionalização mensal de acordo com as regras estabelecidas pela ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica;

Assessoria na contratação / renovação do contrato de energia no mercado livre;

Gestão do contrato de energia;

Emissão de relatórios mensais específicos de performance no mercado livre;

Para fazer uma simulação para o Mercado Livre de Energia, envie a imagem da sua conta de energia via e-mail, com o assunto “Simulação para o Mercado Livre”, para o endereço abaixo:

atendimento@engeletrica.com.br

A ENGELÉTRICA possui equipe técnica especializada que acompanha o cliente em todo o processo migratório;

Executamos as modificações necessárias na subestação de energia (adequação SMF – Sistema de Medição para Faturamento) e representamos o cliente junto a concessionaria, CCEE – Câmara de Comercialização de Energia Elétrica viabilizando a etapa de transição do mercado cativo para o mercado livre;

Prestamos assessoria na contratação de energia sempre buscando as melhores condições e preços disponíveis no mercado;

Entre em contato conosco.